PELO MENOS SEIS MORTOS EM GAZA EM ATAQUES ATRIBUíDOS A ISRAEL

Gaza, 10 jul 2024 (Lusa) - Pelo menos seis pessoas morreram hoje na Faixa de Gaza, onde o Exército israelita mantém "operações antiterroristas", como na sede da Agência da ONU para os Refugiados Palestinianos (UNRWA) na cidade de Gaza.

No Hospital dos Mártires de AlAqsa, em Deir el-Balah, centro do enclave, uma fonte médica citada pela Agência France Presse afirmou que "quatro mártires [vítimas mortais] e um ferido grave" tinham chegado às instalações após um ataque contra uma casa perto de Nousseirat.

Mais a sul, dois mortos e seis feridos foram transportados para o hospital Nasser em Khan Yunis, de acordo com uma fonte médica.

Os últimos ataques atribuídos ao Exército israelita seguem-se a uma operação na mesma zona, ocorrida na terça-feira à noite e que causou a morte de 29 pessoas numa escola que albergava deslocados em Abassan, segundo fontes palestinianas em Gaza.

O Hamas referiu-se ao ataque de terça-feira como um "terrível massacre".

O Exército israelita que afirmou estar a verificar estas informações, declarou ter visado "um terrorista do Hamas" perto da escola, que, supostamente, tinha participado no atentado de 07 de outubro de 2023 contra Israel.

Hoje, o Exército israelita declarou que prosseguem as operações na Faixa de Gaza, nomeadamente na cidade de Gaza, em Shujaia e em Rafah, no sul do enclave.

Na cidade de Gaza, "os soldados realizaram uma operação antiterrorista durante a noite contra os terroristas do Hamas e da Jihad Islâmica que utilizavam a sede da UNRWA como base para dirigir ataques contra os militares no centro da Faixa de Gaza", refere um comunicado oficial.

"Depois de abrir um corredor destinado a facilitar a retirada dos civis da zona, os soldados efetuaram uma incursão dirigida ao local, eliminando os terroristas em combate corpo a corpo e localizando grandes quantidades de armas", indica o mesmo comunicado militar.

Contactada pela France Presse, a UNRWA disse não dispor de informações.

"Dezenas de terroristas" foram também mortos e túneis subterrâneos destruídos em Shujaia, a leste da cidade de Gaza, nas últimas 24 horas, segundo o Exército de Israel.

De acordo com a ONU, dezenas de milhares de palestinianos foram novamente avisados para se retirarem de várias partes da cidade de Gaza, onde o Exército alargou as operações nos últimos dias.

No passado domingo assinalou-se o décimo mês de guerra em Gaza.

As hostilidades foram desencadeadas a 07 de outubro de 2023 pelo ataque do Hamas, movimento islamita palestiniano contra Israel, que causou a morte de 1.195 pessoas do lado israelita, na maioria civis, segundo uma contagem da France Presse baseada em dados oficiais.

De acordo com o Hamas, o ataque de Israel provocou a morte a 38 mil palestinianos até ao momento. 

 

PSP // SB

Lusa/Fim

2024-07-10T08:40:22Z dg43tfdfdgfd